FAUNA E FLORA DA AMAZÔNIA: O MAIOR ESPETÁCULO QUE A NATUREZA PODE LHE OFERECER...
Santuário verde, imensa biblioteca da natureza, a floresta amazônica abriga 50.000 vegetais, 10.000 espécies de insetos, 3.000 espécies de peixes, 1.600 espécies de pássaros raros, mais de 500 mamíferos e um terço dos primatas do planeta...

 

Você não poderá observar a todos: não se ressintam contra nós! Na Amazônia, mais freqüentemente são os animais que observam o homem, e não o contrário...
Mas o privilegiado meio de exploração que o barco representa, as caminhadas matinais e a escuta atenta da floresta em companhia de nossos guias reservam a você maravilhosas surpresas:
Botos, tartarugas, iguanas, gaviões e falcões, macacos, preguiças, estarão presentes a esse encontro.
Bailados dos passarinhos: colibris e tiê-sangues, martim pescadores, garças, tucanos e seu canto melancólico…Pra os curiosos, insetos de todas formas. E para os amantes das emoções fortes, serpentes de cores fascinantes, caranguejeiras...

Quanto aos jacarés, perceberão seus olhos avermelhados pela luz das lanternas nos passeios noturnos de canoa, tudo isso escutando o coaxar melódico dos sapos…
Descobrirão também algumas das 2500 variedades de árvores, algumas atingindo até 60 metros de altura: as madeiras preciosas – ipê, itauba – as seringueiras cuja borracha, “o ouro mole”, fez a fortuna efêmera dos plantadores de Manaus no começo do século 20, as castanheiras que produzem a famosa noz do Pará e palmeiras incontáveis.
Poderão admirar as flores raras, provarão as frutas selvagens, como o delicioso cupuaçu. Aprenderão a reconhecer certas plantas medicinais, esses recursos inestimáveis da floresta amazônica tão ambicionados hoje em dia.


PARA ACABAR COM ALGUMAS LENDAS...
Ao longo do Tapajós, não há mosquitos: a acidez das águas impede a reprodução das larvas. No Amazonas, eles só aparecem ao nascer e ao pôr do sol: no barco, eles não incomodam. Quanto às piranhas, os filmes de terror lhes atribuíram uma reputação terrível. Na realidade, a maior parte é frutívora e essas imagens foram tomadas no momento da baixa das águas nos rios inacessíveis, quando o alimento começa a faltar: não previmos fazê-lo brincar na água. Mas você poderá pelo menos pescar algumas para vencer o mito.

 

2005© A “Compagnie Amazonienne de Navigation” · Realização Click-On